Buscar
  • Ninas

Piropo: o machismo que se esconde atrás de "elogios"

Atualizado: Fev 10

Este artigo é para os homens e vamos falar de... piropos.


Quem não sabe o que são piropos, não é? A Ninas é uma marca criada por duas irmãs e nós, sendo mulheres, sabemos o constrangimento e a repulsa que um piropo causa no nosso dia-a-dia, mas também no nosso desenvolvimento pessoal. Porque sim, nós, mulheres, ouvimos piropos até antes de entrarmos na puberdade!


Piropos são nomes ou frases pronunciadas essencialmente por homens e direcionadas às mulheres, na rua ou num lugar público, principalmente quando estamos sozinhas. Pois claro! Para aumentar a gravidade de todo o acto misógino e machista, o homem que manda o piropo não o diz se formos acompanhadas de outro homem. O piropo acontece só quando estamos sozinhas ou em grupos de mulheres, porque a mulher é um ser inferior que não merece qualquer respeito ou dignidade.


Não é novidade nenhuma que as experiências dos homens em espaços públicos são bastantes diferentes às das mulheres. O espaço público para a mulher pode ser um espaço assustador e pouco seguro. E é, muita vezes, uma experiência traumática.


Estatisticamente, os homens são os maiores agentes de assédio sexual e as mulheres as maiores vitimas.


A naturalidade com que um homem diz um piropo a uma mulher, sem ver maldade nenhuma, é o resultado de uma sociedade patriarcal e machista, que lhes (e nos) ensina que nós, mulheres, temos que estar sempre ao serviço dos homens e aceitar, sem questionar (e se for com um sorriso na cara, ainda melhor) as suas opiniões, críticas ou elogios sobre o nosso próprio corpo.


Mas porque? O que dá o direito aos homens de acharem que a mulher quer saber a opinião dele? É mais uma prova de como o homem, machista no seu interior, acha que a mulher vive dependente da sua aprovação. E que o piropo não só é um elogio que toda a mulher adora, obviamente, como é ainda um favor que os homens fazem às mulheres, não é? Como forma de nos aumentarem a auto-estima e massajarem o ego. Lamentamos em informar que as repercussões são tudo menos positivas!


METAM NAS VOSSAS CABEÇAS: A mulher, que vai na rua na seu mundo, não pediu a vossa opinião e nem tem que ser forçada a ouvir os comentários sexistas que vocês decidem cuspir, achando que o dom da palavra e do elogio vos pertence. As mulheres não são objectos sexuais nem seres que existem apenas para satisfazer o desejo sexual dos homens.


Há piropos tão mas tão horríveis que não entendemos como alguma vez alguém achou normal dizer coisas deste género: "Quem me dera que fosses um frango para te meter um pau no cu e fazer-te suar", "Só não tenho pêlos na língua porque tu não queres", "até mandava arrancar os dentes da frente pra te chupar melhor a c*na", "ainda dizem que a fruta verde não se come." E muito, muito mais... Nojento, não é? Imaginem então o que é ouvir isto, ou até presenciar. É arrepiante.



Nem sempre os piropos machistas são frases pré-feitas ou nojentas, como aquelas que todos nós conhecemos. Um piropo, embrulhado em palavras bonitas, é também um acto machista. Quem nunca ouviu coisas como: "És tão perfeita que deves ter sido esculpida por Deus", "Só a mim é que não me calha uma destas na rifa" “Ora aqui está uma mulher com chicha para agarrar!” "Acreditas em amor à primeira vista ou tenho que passar por aqui outra vez?" - tudo piropos super desnecessários e que alimentam a ideia que a mulher vive em função do o que o homem poderá achar dela. Livrai-nos de nos amarmos e gostarmos de nós e dos nossos corpos, sem estes "elogios incríveis".


Dizer a uma mulher que ela é bonita, pode não ser de facto um elogio machista. Porém há que se estar alerta sobre as intenções do suposto elogio e o que o envolve. Se ambos se conhecem, se a mulher estava sozinha, se o comentário teve um teor sexual, etc.


Muitas vezes o piropo é conotado como algo inofensivo. Tanto pelos homens, como pelas próprias vítimas, as mulheres. A banalização e a tolerância destes comportamentos e comentários pela sociedade é bastante grave. O piropo é uma forma de assédio. Não é um elogio, ou um atos de amor ou sedução. Não é humor. Para todas as mulheres que tem que lidar com isso no seu dia a dia é desgastante. E se pararmos todas um bocadinho para pensar, podemos todas admitir que nos transformou em mulheres mais desconfiadas e na defensiva.



Homens! O que podem fazer para ajudar a eliminar este assédio gratuito que ocupa livremente as nossas ruas?


Não digam piropos. Não ensinem piropos às camadas mais jovens, como se fosse um requisito buéda fixe para saber "engatar" as mina. Se ouvirem alguém dizer um piropo, chamem essa pessoa a atenção.


É tão simples, não é? Vamos tornar este mundo um lugar mais seguro para as mulheres? E não porque um dia pode acontecer às vossas mães, irmãs, tias, primas ou filhas. Mas sim pelo simples facto que nós, mulheres, merecemos tanto respeito como vocês.


Obrigada. Em nome de todas.


Com amor,


As vossas Ninas


24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

JOIN OUR MAILING LIST AND GET 10% OFF ON YOUR FIRST ORDER

  • Instagram
  • Facebook
  • TikTok
  • Pinterest

© 2021 por Ninas. Todos os direitos reservados