Buscar
  • Ninas NJW

Porque é que (ainda) precisamos do feminismo?

Em primeiro lugar, o que é o feminismo?


O feminismo é um movimento social que surgiu após a Revolução Francesa. O feminismo é um conjunto de movimentos políticos e sociais, ideologias e filosofias que têm como objetivo a igualdade de direitos entre homens e mulheres, no sentido que ambos tenham as mesmas oportunidades e vivências humanas.



Ao contrário do que muitos pensam, o feminismo não é o oposto do machismo. O feminismo não é um movimento sexista, na medida que não procura impor algum tipo de superioridade feminina sobre os homens, mas sim a igualdade de género.


(iremos fazer um artigo no blog sobre as noções do Feminismo e do Machismo, para entendermos as diferenças, fiquem atentxs, ninas)


Infelizmente, o feminismo ainda é visto por muita gente (devido à falta de informação e informação errada) como uma luta contra os homens. Não é: é a favor das mulheres. O feminismo não é Homens vs Mulheres. Mas é de facto uma luta contra machistas, sexistas e misóginos, contra isso não há argumentos!


O feminismo defende o direito das mulheres em todos os contextos da sua vida: seja igualdade política, profissional, social ou pessoal. O feminismo defende desde a igualdade salarial, ou seja, que as mulheres devem ganhar o mesmo salário que os homens ao desempenhar a mesma função, à liberdade de nós vestirmos como queremos sem sermos objectificadas ou criticadas, de nos comportarmos fora das normas de género, até ao simples direito de andarmos na rua sem medo. O feminismo desfaz a ideia incutida pela sociedade patriarcal que as mulheres são rivais umas das outras. O feminismo pretende reafirmar a liberdade da mulher para ser, estar e se comportar.


Muitas vezes se pergunta: Mas afinal, ainda precisamos do feminismo? As mulheres já podem votar, já podem trabalhar e ser financeiramente independentes, já não são apenas mães, casadas e donas de casa...


Apesar de todas as conquistas das mulheres nas últimas décadas (AMEN!), ainda vivemos em uma sociedade patriarcal e machista, em que ainda se tolera a violência contra a mulher, se banalizam comentários e comportamentos misóginos e sexistas e se sustenta a ideia de que esta é inferior ao homem ou que existe apenas em função e ao serviço do homem em várias situações da vida.

Apresentamos alguns exemplos (dos infinitos exemplos que existem) de desigualdades de género que as mulheres têm que enfrentar no seu dia-a-dia:


- 98% das mulheres dizem já ter sofrido algum tipo de assédio.

- 1 em cada 3 mulheres no mundo vai sofrer de assédio sexual ou violência no seu tempo de vida.

- As mulheres ganham, em média, 14,4% a menos do que os homens.

- As mulheres estudam, em média, um ano e meio a mais do que os homens. Ainda assim, quanto maior a escolaridade, maior a diferença salarial.

- As mulheres trabalham, em média, 7,5 horas a mais do que os homens.

- Apenas 37% das empresas têm mulheres em cargo de gerência ou diretoria. Apenas 10% das empresas têm mulheres em cargos executivos. - 66% das mulheres afirmam terem sofrido preconceito no trabalho. Para homens, este assunto é inexistente, a eficiência em realizar um determinado trabalho os homens não são questionados sobre como daria conta no trabalho após ter filhos. Nem foi julgado sobre a altura da barra da saia, a cor do cabelo, o “look do dia” e como isso tem (?) relação com o seu profissionalismo.


É impossível e até injusto dizer que a nossa sociedade é igualitária. Os homens não passam por estes problemas e dificuldades, apenas pelo simples factos de serem homens, principalmente os homens que correspondem às normas cis. Por isto, e por muito mais, o feminismo continua a ser tão necessário!


O sonho da Ninas é que nós, mulheres, também não tenhamos que enfrentar tudo o que referimos acima (e infelizmente, muito mais!) e que possamos viver as nossas vidas sem tantas pressões e sem que todo o dia seja uma luta.


Todos nós, homens ou mulheres, devemos ser feministas! Para ser feminista precisamos apenas de nos posicionar e tomar uma atitude quando somos confrontamos com uma injustiça e/ou uma desigualdade no nosso dia-a-dia. SPEAK OUT, TAKE ACTION!


Não só os homens têm um certo tabu em se afirmarem como feministas, como ainda se ouve muitas mulheres que dizem que não são feministas e não gostam do movimento feminista, usando desculpas como “as feministas são radicais” ou “eu não sou contra os homens por isso não me considero feminista”. O que só reafirma a necessidade em se educar e ensinar a nossa sociedade sobre o feminismo!



A mensagem da Ninas de hoje é: não tenham vergonha de dizer que são feministas!


O feminismo, se ainda não é, deveria ser uma luta de todxs! IT'S NOT JUST A WOMEN'S FIGHT, IT'S EVERYONE'S


Querem ler uma parte 2 sobre este tema? Comentem na nossa publicação no Instagram! Ficamos a aguardar o vosso feedback.


Com amor,


As vossas Ninas



Queremos que se sintam livres de partilhar connosco as vossas opiniões e visões sobre o mundo. Pretendemos que a Ninas seja um espaço de partilha e aprendizagem. Se tens algo a partilhar connosco, seja sobre este tema ou outro qualquer, fica sabendo que podes, seja através das mensagens privadas nas nossas redes sociais ou através no nosso email para o efeito.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo