Buscar
  • Ninas NJW

Sobre self-love... c/ Jéssica Ferreira



Olá besties,


Hoje trazemos uma conversa muito especial que tivemos sobre self-love e o Body Positivity com a Jéssica.


A Jéssica é uma influencer portuguesa (sigam-na no Instagram, não se vão arrepender) e usa a sua plataforma para espalhar amor e aceitação. Decidimos trazer para o blog esta conversa, porque achamos que é um assunto relevante e importante para todxs, e se puder ajudar nem que seja umx leitorx, para nós já é incrível.



Qual é a tua opinião sobre as pessoas que dizem que o movimento Body Positivity é “moda”?


Eu tento pensar sempre que as pessoas para dizerem algo ou para terem uma determinada atitude têm sempre uma razão, talvez essas pessoas tenham algo que não lhes permite ver mais além algum acontecimento traumático algo que não lhes deixa entender, uma educação diferente, eles próprios terem inseguranças que não conseguem admitir e daí sentirem necessidade de criticar, talvez nunca tenham tido a experiência de se sentirem humilhados criticados ou censurados pela sociedade, pois a meu ver qualquer pessoa que consiga parar e pensar no próximo, que consiga imagina a dor do próximo, mesmo que não seja a sua dor , entende o movimento BodyPositive!



Qual a tua opinião sobre a categorização das marcas como modelos e modelos Plus Size? E a própria divisão da roupa em todas as lojas?


Eu acho que não vejo mal (na minha opinião claro) em existir o nome: modelo, modelo plus size ou Midsize; a mim, em particular, não me faz diferença, tal como não faz diferença que categorizem uma pessoa como estatura magra ou gorda, quando isso é usado como categoria e não insulto, claro. Quanto à divisão de secções em loja, eu penso que seria mais inclusivo se simplesmente a loja optasse por ter números maiores sim, mas misturados com o resto da roupa já existente em loja! Por exemplo, temos o modelo de calça X na cor rosa, tudo no mesmo lugar, com todos os tamanhos no mesmo local! Não há necessidade de colocar uma parte da loja “renegada “ à parte num canto com poucas escolhas a dizer “plus size“…

A relação que tens com o teu corpo foi sempre positiva?


Não, a minha relação com o meu corpo desde nova sempre foi um pouco tóxica. Começou quando tive a primeira menstruação antes de todas as raparigas da minha turma, o meu corpo já não era tão reto, já não tinha pouca maminha, nem pouca anca/rabo, eu tinha uns 50kg e as minhas amigas 40 e poucos, já aí me intitulei de gorda e deixei de comer ao ponto de desmaiar na escola, o que deixou uma cicatriz até hoje no joelho para me lembrar do quão estúpida fui.

Tive uma depressão na adolescência e voltei a deixar de comer mas, mesmo porque não conseguia, cheguei a pesar 48kg… Após essa altura mais dura passar e melhorar o apetite, o peso aumentou imenso, também devido a medicação, e ganhei uns 20 e tal kgs, e aí começou o ódio mesmo sério com o meu corpo. As constantes piadas sobre ele, o choro no provador, o evitar de sequer olhar para um espelho com pouca roupa. Felizmente, em 2020, isso mudou completamente! Com a vinda da pandemia, coloquei muito em questão a maneira como vivia a minha vida e comecei a perguntar-me a mim mesma “E se eu morresse e existisse vida após a morte estaria eu orgulhosa de como estou a viver a minha vida aqui?" e a resposta seria NÃO! Eu deixava de viver a vida ao máximo por não me encaixar no que a sociedade inventou que era o ideal. Cansei!!! Eu sou muito mais que um corpo, eu sou vida! E eu mereço viver a 100% tudo o que tenho direito!



O que mais amas em ti quando olhas ao espelho que nunca pensaste amar?


Algo que eu amo em mim e que nunca pensei amar... As estrias, eu gosto genuinamente delas, e aprecio até noutras pessoas, fazem-me lembrar marcas da natureza que se pensarmos e observarmos bem estão presentes em muitos sítios e nesses sítios achamos bonito, porque não achar bonito também na natureza do ser humano?



O que dirias à Jéssica de 14 anos?


Eu diria à Jéssica de 14 anos que o amor dos outros não deve ser pedido, não deve ser um esforço ou algo que temos que correr atrás! Diria que ela só tem que correr atrás dela mesma, do futuro dela, da melhor versão dela! Tem que se amar sempre em primeiro lugar, respeitar-se e viver tudo ao máximo porque só se vive uma vez!

Então, a auto-aceitação mudou a tua vida, e também te mudou a ti, como pessoa?

Mudou completamente! Eu era uma pessoa super dependente dos outros, bicho do buraco, sem sequer dar oportunidade a novas amizades porque “vão-me rejeitar pelo meu corpo”, sem falar que não conseguia estar num grupo de pessoas, porque não queria ser o centro da atenção, por causa do meu corpo, enfim, enfim, enfim… depois de começar a entender que só dependia de mim ser feliz, comecei o meu próprio negócio, terminei um namoro que já não estava a dar certo, fiz novos amigos, comecei a usar todo o tipo de roupa que gostava sem medo, cor, padrões, estilos diferentões, fiz coisas que nunca tinha feito e aventuras para poder contar aos netos e isso tudo no meio de uma pandemia! - e mesmo assim, foi possível, porque o amor próprio muda mesmo uma vida, é um power surreal!



Para ti, o que significa o amor próprio?

Para mim, o amor próprio é a realização de que tu nasces com um corpo, uma alma, uma casa para a vida, algo único que merece ser bem tratado e cuidado! E quando chegas a essa conclusão na vida muita coisa muda, porque o amor próprio muda vidas!


O que dirias a alguém que não ama o seu corpo?


Eu fazia a pergunta que fiz a mim mesma em 2020 no início da pandemia: Se morresses hoje e houvesse vida após a morte ficavas orgulhoso(a) de como estavas a viver a tua vida? - se a resposta for não, pensa nisso, pensa se vale a pena estragar a única vida que tens por algo ESTÉTICO… Não vale mesmo... Não vale! Só vive!



O que dirias aos padrões de beleza impostos pela sociedade? Cá nós dizemos, f*ck it!

Não diria melhor, como eu costumo dizer é ligar o modo f*d*-se! A atitude é tudo haha. A sociedade não manda em mim, a sociedade não me impõe regras, eu faço a diferença, eu faço as minhas regras! Eu sou poderosa, eu sou incrível, eu posso tudo!



Obrigada Jéssica, por esta conversa. És uma pessoa maravilhosa ❤️


E vocês? Como responderiam a estas questões? Deixem as vossas respostas no nosso Instagram e deixem muito amor no Instagram da Jéssica.


Com amor,


As vossas Ninas ✿



Mais que uma marca, a Ninas pretende ser um espaço de partilha. Se quiseres contar-nos a tua história, envia-nos mensagem privada nas nossas redes sociais ou para o e-mail ninas.shareyourstory@gmail.com


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo